Login  Recuperar
Password
  25 de Agosto de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Nazaré, Política
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Vereadores do PSD alertam para a privatização das águas

Os vereadores do PSD votaram contra o Acordo Parassocial da Águas do Tejo Atlântico em “coerência com as posições defendidas em campanha eleitoral”.

15-03-2018 | JL

“Aceitar a possibilidade de privatização da AdP (Águas de Portugal), ainda que com reservas, é como abrir uma caixa de pandora no setor das águas e saneamento, cujo desfecho final, ninguém pode prever”, disse Alberto Madaíl ao jornal Região da Nazaré
Para os vereadores do PSD, a água “é um bem inalienável” e por essa razão defende-se a manutenção da captação, tratamento, transporte e distribuição ao consumidor sob a alçada da gestão, controlo e regulamentação pública”.
Sobre a proposta de acordo parassocial debatido em reunião, a oposição na Câmara da Nazaré fala em “alteração de posição do executivo PS nesta matéria, contrariamente a ações políticas e judiciais protagonizadas pelo PS em 2012 quanto estava na oposição, e aí, claramente contra qualquer privatização do setor das águas".
A posição negocial e o poder de compra do Município da Nazaré no contexto desta Sociedade foram também apontados pelo PSD como razões que deveriam inviabilizar qualquer proposta com vista à “privatização do sector das águas, matéria que sempre defendemos ser importante manter a posse e gestão deste importante recurso natural na esfera pública”.
“É nosso entender que o Estado, nas suas diversas representações, não deve entregar a gestão, controlo ou posse de um recurso natural imprescindível para a vida humana ao sector privado, devendo assumir todos os estágios do percurso da água, desde o processo de captação, tratamento, transporte e distribuição até ao consumidor final, ou seja, a população em geral”.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar

      Turismo de Coruche

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]