Login  Recuperar
Password
  28 de Janeiro de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Regional
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Lagoa de Óbidos

“Nova aberta” para impedir que o marisco e o peixe morram

A embocadura da Lagoa de Óbidos, que permite a renovação da água e a oxigenação daquele ecossistema, ficou “tecnicamente fechada” devido ao assoreamento, motivando uma intervenção de urgência do Ministério do Ambiente em conjunto com as autarquias das Caldas da Rainha e de Óbidos, que construíram uma “nova aberta”, mais a norte da praia da Foz do Arelho, para impedir que o marisco e o peixe morram e assim garantindo a manutenção do sustento de cerca de duzentas famílias que dependem da lagoa.

24-05-2018 | Francisco Gomes

A medida foi anunciada após uma visita do presidente da Agência Portuguesa de Ambiente (APA), que dirige a comissão de acompanhamento da Lagoa de Óbidos, da qual fazem ainda parte as câmaras locais e associações profissionais e ambientais.
Nuno Lacasta, presidente da APA, revelou que foi “confirmar a necessidade de reabrir a Lagoa”, após o alerta dos pescadores e mariscadores. O local da “nova aberta”, na confluência de um baixio para evitar o assoreamento encurta a praia da Foz do Arelho, do lado das Caldas da Rainha, que ainda assim fica com uma boa extensão de areal para os banhistas, ao mesmo tempo que será reforçado o cordão dunar a sul, na praia do Bom Sucesso, em Óbidos, que ficará maior.
As autarquias e os pescadores e mariscadores ficaram satisfeitos com a rápida solução, aguardando também pela conclusão do concurso público para a segunda fase de dragagens a efetuar no final deste ano, num investimento de 16,8 milhões de euros para retirar 850 mil metros cúbicos de areia da Lagoa de Óbidos.
Na comissão parlamentar de Agricultura e Mar a deputada do CDS-PP Patrícia Fonseca questionou se o Governo está a pensar antecipar a dragagem prevista para outubro, tendo a ministra do mar, Ana Paula Vitorino, revelado que vai propor ao ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, que avalie essa possibilidade, o que deverá ser difícil dado tratar-se de um concurso internacional com determinados passos a seguir.
O deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta ao Governo sobre qual o calendário previsto para a execução da segunda fase de intervenção na Lagoa.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar

      Turismo de Coruche

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]