Login  Recuperar
Password
  25 de Agosto de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Opinião
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

ME CONFESSO EU PESCADOR

NÓS CUMPRIMOS… E DAÍ?

Nós cumprimos mas, em troca, destruiu-se a economia, atrofiou-se a classe média, desmantelou-se o Estado social, mandaram-se milhares de pessoas para o desemprego e para a emigração, desbaratou-se a qualidade dos serviços, aumentaram-se drasticamente as desigualdades e empobreceu-se o país.

10-02-2015 | Armando Lopes

Os débeis sucessos da redução do défice e do desemprego ou da consolidação das contas públicas, anunciados com pompa e circunstância apesar de muitos deles serem virtuais, não justificam o elevado preço que pagamos. Principalmente, porque exigiram sacrifícios brutais que não impediram a dívida acumulada e os juros de continuarem a crescer, atingindo valores incomportáveis. O que vai comprometer, inevitavelmente, o nosso futuro e o das gerações vindouras.
Nós cumprimos, é verdade, mas à custa de uma austeridade irracional e de uma carga fiscal elevadíssima que atirou milhares de famílias para os limiares da pobreza. E, também, à custa da venda ao desbarato dos anéis e dos dedos.
Nós cumprimos, porque os nossos governantes se esqueceram de que foram eleitos para resolver os problemas dos cidadãos e não para defenderem interesses financeiros. E, com esta preocupação obsessiva de redução do défice, provocaram o caos nas escolas, nos hospitais, nos tribunais, na Segurança Social e, sobretudo, na vida das pessoas. Quando era fundamental que se preocupassem em proporcionar igualdade de oportunidades a todos e não espremessem de forma desumana as classes menos favorecidas.
Nós cumprimos sim, mas… e de que é que isso nos valeu? Se ficamos com um país mais pobre, mais desigual, mais injusto, mais endividado, menos independente e com menos recursos…
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar

      Turismo de Coruche

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]