Login  Recuperar
Password
  20 de Abril de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Google Plus Siga a nossa página Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Picasa Siga-nos no YouTube Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Nazaré
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Continua a contestação ao “zipline” entre o Sítio da Nazaré e a praia

Publicidade ao "zipline" por uma empresa que se identifica como "Voa Nazaré" está a provocar a indignação do Movimento Cívico pela Defesa do Promontório da Nazaré, que tem feito tudo para que a autarquia cancele este projeto, que visa a instalação de uma tirolesa para descida individual de pessoas por cabo aéreo de aço, fixo desde o promontório do Sítio até à praia da Nazaré, numa extensão de 1100 metros.

21-03-2019 | Francisco Gomes

Folhetos promocionais chegaram às caixas de correio dos nazarenos na semana passada, motivando a estranheza do movimento cívico, porque “a Câmara Municipal da Nazaré diz publicamente que a decisão final do concurso ainda não está tomada, no entanto, “alguém” dá já a decisão como finalizada há muito tempo”.
Para o movimento, “transformar a Nazaré num parque de diversões não é o caminho do desenvolvimento nem da sustentabilidade. Irá prejudicar o nosso património, a nossa paisagem, a nossa identidade. Queremos um debate público, aberto e transparente”.
“Consideramos que a instalação da tirolesa irá interferir destrutivamente no património geológico e na paisagem do promontório e praia, imagem icónica da Nazaré. Igualmente põe em causa o ecossistema da fauna e flora existente no local”, sustenta.
“Será que é um dado adquirido que vai atrair mais turistas? E quantas pessoas se sentirão incomodadas e deixarão de ir à praia, quer seja por receio de falta de segurança, quer seja pelo incómodo visual e sonoro?”, questiona, considerando que “é matar a galinha dos ovos de ouro”.
A Câmara tem argumentado que a “zipline” é “mais uma medida para a atração de investidores e criação de receitas municipais, e integra-se no eixo de combate à sazonalidade”.
No folheto publicitário é referido que “será a maior atração turística da região e uma atividade de características ímpares na Europa, destinada a pessoas dos 8 aos 80 anos, que permitirá aos utilizadores desfrutar de uma beleza nunca antes vista ou sentida”.
É prometida “uma experiência única, sem ruído associado, confortável e totalmente segura”. A “zipline” será “sinónimo de turismo o ano inteiro, é perfeitamente compatível com a época balnear ou com a época das ondas gigantes, e apenas encerrará sob condições meteorológicas extremas”.
É ainda referido que este investimento exclusivamente privado irá criar postos de trabalho diretos e indirectos.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Booking.com
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar

      Turismo de Coruche

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]